O que dizer do amor?

Que é impossível negar a sua existência, mesmo que a decepção faça parte da expectativa que nutrimos a respeito do ser amado.

Que é impossível negar as possibilidades que o amor pode proporcionar e por quais caminhos o encontramos.

O amor é totalmente é livre, porém muitos o aprisionam, pois o medo de vivenciá-lo, o torna um eterno fugitivo.

O amor é um sentimento, ele não obedece a padrões, não há uma via de regra. Existe sim, um manual construído por cada um, que precisa ser respeitado e levado em conta na sua construção.

O amor tem os seus próprios meios para subsistir, ele só precisa de dois corações que se permitam entregar sem reservas, sem moldes, para que cada um contribua para mantê-lo aquecido, para que ele sobreviva.

Apesar do amor ser imortal, ele pode apagar a chama, com apenas uma centelha de rancor, de medo, dúvida e falta de confiança.

Para não colocar o amor em maus lençóis, precisam de muito altruísmo e dedicação para que ele subsista.

Para muitos ele deve ser cultivado, nutrido diariamente, com dedicação e atitudes, seguido de um certo romantismo e isto leva muitos corações a sentirem-se aceites, alimentados, mas para outros ele só precisa de estar lá.

São tantas as maneiras de serem vistas, que não há uma forma definida. Apenas alguém que o deseje sentir e se permitir aquecer pelos seus sinais.

Talvez o amor seja fugitivo, pois muitos têm medo de encará-lo julgando ser ele o seu pior adversário e, com isso, perdem a oportunidade de viver o seu melhor momento.

Há quem diga que o amor é cego, pois a lógica do amor é insana, não se entende com a razão.

Ah!!! O amor é lindo, pois ele não escolhe aparências, ele é regido por sensações que o outro proporciona com um simples olhar, com a beleza de um sorriso, com o calor de um abraço ou quem sabe aquela companhia de todas as noites frias.

O amor só precisa de dois corações que se permitam tornar um.

É, o amor encanta, não precisa de rótulos para emoldurá-lo, ele só precisa ser consentido.

Texto by:
Crys Bernardo
In: O que dizer do amor?

O que dizer do amor?

A semente do amor…

Não se vá antes de plantar a semente do amor… onde está? … Está no seu interior.

Faça-a germinar… aos poucos ela será uma bela árvore… robusta, frondosa, linda, emanando a energia da felicidade… acolhendo todos com a sua sombra refrescante e dando os seus frutos… a fraternidade, a alegria, a caridade, a ternura e tantos outros mais.

Seguindo a evolução, com o tempo envelhecerá e por fim, nos deixará. Daquela única semente que se originou… terá então, deixado muitas e muitas mais, no interior daqueles que aqui ficaram; só resta a esses, replantá-las.

Texto by:
Pedro Paulo Lanetzki


A semente do amor…

 

Lacuna…

Você já amou com a razão? Sentiu o seu coração em conexão com ela?

Parece que a sintonia toma conta, o corpo entrega-se, a alma rende-se e a mente permanece em paz.

Tudo seria lindo senão houvessem as miragem, as lacunas mal preenchidas, o medo de acordar e se dar conta da utopia, que é, a entrega sem efeitos colaterais.

Texto by:
Crys Bernardo
In: Lacuna…

Lacuna…

 

O Abraço!

❝ Abraço devia ser receitado pelo médico!
Há um poder de cura no abraço que ainda desconhecemos.
Abraço cura o ódio. Abraço cura o ressentimento. Cura o cansaço. Cura a tristeza.
Quando abraçamos soltamos as amarras.
Perdemos por instantes as coisas que nos têm feito perder a calma, a paz, a alma…
Quando abraçamos baixamos as defesas e permitimos que o outro se aproxime do nosso coração. Os braços abrem-se e os corações aconchegam-se de uma forma única.
E nada como o abraço…
Abraço de “Eu Te Amo”
Abraço de “Que Bom Que Estás Aqui”
Abraço de “Ajuda-me”
Abraço de “Até Breve”
Abraço de “Que Saudade!”
Abraços…
Quando abraçamos somos mais do que dois; somos uma família, somos planos, somos os sonhos possíveis.
E o abraço devia, sim, ser receitado por um médico especialista, pois rejuvenesce a alma e o corpo. ❞


Deixo aqui o meu abraço para si!

Texto by:
Autor Desconhecido

O Abraço!

Cannabis liberalizada na África do Sul

A Corte Constitucional da África do Sul decidiu nesta terça-feira descriminalizar o consumo privado de Cannabis, numa sentença histórica aprovada de forma unânime.

A lei que proíbe o consumo de Cannabis em residências por adultos é ❝inconstitucional e por consequência nula❞, afirmou o juiz Raymond Zondo ao ler a decisão do supremo tribunal do país, com sede em Joanesburgo.
❝Não será mais crime para um adulto consumir ou possuir Cannabis, a título privado para o seu consumo pessoal em casa❞.
A Corte ordenou ao Parlamento a elaboração de uma nova lei no prazo de dois anos.
A sentença foi recebida com aplausos pelos defensores da legalização. Do lado de fora do tribunal, várias pessoas fumaram um charro para celebrar a decisão.

O milagre da educação!

O pai chega a casa vestido numa novíssima camisa do PT, entra no quarto do filho e beija o retrato de Che Guevara na parede.

O rapaz espantado pergunta:

– Que é isso pai? Ficou maluco? Logo você que é o maior “coxinha”, “reaça” de primeira, vestindo a camisa do PT?

– Que nada meu filho! Agora sou petista! Conversámos tanto sobre o Partido que me convenceste!
PT! PT! VIVA O PT! – grita o velho.

O rapaz, membro do DCE da universidade onde já faz um curso de quatro anos, há oito anos e fiel colaborador da JPT, não se aguenta de tanta alegria!

– Senta aí companheiro! Vamos lá conversar! O que foi que te levou a essa decisão?

O pai senta-se ao lado do filho e explica:

– Pois é… cansei-me de discutir contigo e passei a achar que tens razão. Por falar nisso, lembras-te do Luís, aquele que te pediu dois mil reais da tua poupança emprestados, para dar entrada numa moto?

– O que tem ele? Pergunta o filho…

– Pois é… Liguei pra casa dele e perdoei a dívida. E fiz mais! Disse-lhe que ele não precisa de se preocupar mais com as prestações, pois vou usar oitenta por cento da tua mesada para pagar o financiamento!

– Pai!!!!! Você ficou louco? Pirou?

– Filho, lembra-te que agora nós somos petistas. Perdoar dívidas e financiar o que não é nosso, com o que não é nosso, é a nossa especialidade! Temos que dar o exemplo! E tem mais! Agora 49% do teu carro eu passei para a tua irmã. Vendi pra ela quase a metade do teu carro! Desta forma continuas maioritário, mas só podendo usá-lo em 51% do tempo!

– Mas o carro é meu, pai! Não podias fazer isso! Não podes vender o que não é teu!

– Podia sim! A Dilma fez isso com a Petrobrás e tu foste o primeiro a apoiar! Só estamos seguindo o caminho dela! O garoto, incrédulo e desolado entra em desespero, mas o pai continua:

– Outra coisa! Doei o teu computador, notebook e o tablet para os carentes lá do morro.
Agora eles vão poder conectar-se!

– Pai! Que sacanagem é essa?

– Não é sacanagem não, meu filho! Nós petistas defendemos a doação do que não é nosso, lembras? Doamos aviões, helicópteros, tanques… O que é um computador, um tablet e um notebook diante disso? Prestes a entrar em colapso, o garoto recebe a última notícia:

– Filho, lembras-te daquele assaltante que te ameaçou de morte, te espancou e roubou o teu smartphone? Vou agora mesmo retirar a queixa e depois para a porta da penitenciária exigir a soltura dele, dizendo que ele é inocente!

– Pai… pelo amor de Deus… Não podes fazer isso… O gajo é perigoso!

– Perigoso nada! São os direitos Humanos que nós pregamos, meu filho! Somos petistas com muito orgulho!

– Mas o gajo espancou-me! E roubou-me, pai!

– Alto lá! Não há provas disso! Isso é um estado de excepção! O rapaz é inocente! Nós fizemos a mesma coisa com os companheiros acusados no mensalão!

– Mas ele estava armado quando a polícia chegou!

– E então??? Ele estava armado, mas quem prova que a arma era dele? A revista Veja? Isso é coisa de reaça, meu filho!

– Pai, o senhor ficou doido! E o pai finaliza:

– Fiquei doido? Na hora de defender os bandidos que roubam a nação és petista, mas se te roubarem, deixas de ser. Na hora de doar, perdoar as dívidas e fazer financiamentos com o que é dos outros, és petista. Mas se fizeres o mesmo contigo, deixa de ser. Na hora de delapidar o património nacional, vendendo o que é mais precioso e não pertence ao PT e sim ao povo, és petista, mas se eu vender metade do que é teu, deixas de ser!

AGARRA NAS TUAS COISAS E VAZA DAQUI!

– Mas vou pra onde, pai? Perguntou chorando…

– Agora és um dos sem-tecto que tanto defendes, meu moleque cagão! E vais-te consultar com os médicos cubanos, porque eu cancelei o teu plano de saúde!

Dois dias depois o moleque bateu na porta curado. Não era mais petista e não havia mais DCE ou JPT.
E nem chamava o pai de “reaça”.

E o milagre da educação aconteceu.

Texto by:
Marcelo Rates Quaranta

O milagre da educação!

Os Sexalescentes do Século XXI

“Se estivermos atentos, podemos notar que está surgindo uma nova faixa social, a das pessoas que estão em torno dos sessenta/setenta anos de idade, os sexalescentes é a geração que rejeita a palavra “sexagenário”, porque simplesmente não está nos seus planos deixar-se envelhecer.

Trata-se de uma verdadeira novidade demográfica, parecida com a que em meados do século XX, se deu com a consciência da idade da adolescência, que deu identidade a uma massa de jovens oprimidos em corpos desenvolvidos, que até então não sabiam onde meter-se nem como vestir-se.

Este novo grupo humano, que hoje ronda os sessenta/setenta anos, teve uma vida razoavelmente satisfatória.
São homens e mulheres independentes, que trabalham há muitos anos e conseguiram mudar o significado tétrico que tantos autores deram, durante décadas, ao conceito de trabalho.
Procuraram e encontraram, há muito, a atividade de que mais gostavam e com ela ganharam a vida.
Talvez seja por isso que se sentem realizados! Alguns nem sonham em aposentar-se. E os que já se aposentaram gozam plenamente cada dia, sem medo do ócio ou solidão. Desfrutam a situação, porque depois de anos de trabalho, criação dos filhos, preocupações, fracassos e sucessos, sabem olhar para o mar sem pensar em mais nada, ou seguir o voo de um pássaro da janela de um 5º andar…

Algumas coisas podem dar-se por adquiridas.
Por exemplo: não são pessoas que estejam paradas no tempo: a geração dos “sessenta/setenta”, homens e mulheres, manejam o computador como se o tivessem feito toda a vida. Escrevem aos filhos que estão longe e até se esquecem do velho telefone fixo para contactar os amigos – mandam WhatsApp ou e-mails com as suas notícias, ideias e vivências.

De uma maneira geral estão satisfeitos com o seu estado civil, e, quando não estão, procuram mudá-lo. Raramente se desfazem em prantos sentimentais.
Ao contrário dos jovens, os sexalescentes conhecem e pesam todos os riscos. Ninguém se põe a chorar quando perde: apenas reflecte, toma nota e parte pra outra…

Os homens não invejam a aparência das jovens estrelas do desporto, ou dos que ostentam um traje Armani, nem as mulheres sonham em ter as formas perfeitas de uma modelo.
Em vez disso, conhecem a importância de um olhar cúmplice, uma frase inteligente ou um sorriso iluminado pela experiência.

Hoje, as pessoas na idade dos sessenta/setenta, estão estreando uma idade que não tem nome. Antes seriam velhos e agora já não o são.
Hoje estão com boa saúde física e mental; recordam a juventude mas sem nostalgias parvas, porque a juventude, ela própria também está cheia de nostalgias e de problemas.

Celebram o sol a cada manhã e sorriem para si próprios. Talvez por alguma razão secreta, que só sabem e saberão os que chegarem aos 60/70 no século XXI”

Texto by:
Miriam Goldenberg

Os Sexalescentes